Atalhos

A verdadeira comunidade


Quando comecei a escrever para o blog nunca imaginei a dimensão e impacto que o mesmo iria ter. Sempre pensei que pudesse ser útil, mas não tanto. Na realidade, quase diariamente recebo comentários e e-mails de pessoas que aprenderam qualquer coisa, que pouparam algo mais e que tratam melhor o seu dinheiro – é uma verdadeira satisfação.

O blog começou pela minha mão e esforço, mas com o passar do tempo tem vindo a criar uma verdadeira comunidade, que estimula o crescimento da cultura financeira. Veja-se o exemplo do fórum, que conta com mais de 240 membros e 1300 mensagens. É obra de todos.

Veja-se também o exemplo do Paulo Aguiar, que muito contribui para o crescimento do fórum e que nos tem presentado com excelentes artigos para o blog. Ou o José Catarino, que detectou uma falha no calendário de feriados e enviou uma versão melhorada. Também não me esqueço do hsfarao, da Pipocas e do D@vid, que tanto impulsionam o fórum. O meu (e o nosso, estou certo) obrigado a todos eles, e a muitos mais, é este espírito que cria uma verdadeira comunidade.

Já sabe: se quiser participar no fórum ou no blog, com comentários, conteúdos ou sugestões, esteja totalmente à vontade e conte com o meu apoio.

Última actualização: 14/04/2011

Partilhe:

15 comentários a A verdadeira comunidade

  1. D@vid Junho 23, 2008 at 21:20 #

    Ah!!! estava já a ver que tinha queimado a máquina lol.

  2. José Ribeiro Junho 27, 2008 at 16:01 #

    Leiam, respondam e enviem para todos os que puderem: é importante. ANTES DE 7 DE JULHO

    Chamo a vossa atenção para a mensagem que se segue, uma vez que é do interesse de todos. Pf reclamem e passem ao próximo.

    Caros Concidadãos e amigos,

    Esta malta pretende pôr os cidadãos comuns, bons e regulares pagadores, a pagar as dívidas acumuladas por caloteiros clientes da EDP, num total de 12 milhões de euros e, para o efeito, a entidade reguladora está a fazer uma consulta pública que encerra em meados de Julho. Em função dos resultados desta consulta será tomada uma decisão. Esta consulta não está a ser devidamente divulgada nem foi publicitada pela EDP, pelo menos que eu saiba. A DECO tem protestado, mas o processo é irreversível e o resultado desta consulta irá definir se a dívida é não paga pelos clientes da EDP. A DECO teme que este procedimento pegue e se estenda a todos os domínios da actividade económica e a outras empresas de fornecimento de serviços (EPAL, supermercados, etc.). Há que agir rapidamente. Basta enviar um e-mail com a nossa opinião, o que também pode ser feito por fax ou carta mas não tenho os elementos.

    Peço que enviem o mail infra e divulguem o mais possível, para bem de todos nós cumpridores.

    Enviar para: consultapublica@erse.pt

    Exmos Senhores:

    Pelo presente e na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, venho manifestar e comunicar a Vªs Exªs a minha discordância, oposição e mesmo indignação relativamente à “proposta” – que considero absolutamente ilegal e inconstitucional –
    de colocar os cidadãos cumpridores e regulares pagadores a terem que suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.

    Com os melhores cumprimentos,

    ………….

  3. Maria José Monteiro Setembro 7, 2008 at 14:43 #

    Boa tarde Pedro,

    Mais uma vez peço a sua opinião.
    Tenho ouvido, e concordo, que o melhor investimento, é a amortização do empréstimo à habitação.
    Eu tenho alguns PPRs e outros PPREs de 2002, 2003, 2005 e 2006. Não são valores elevados. Será que tenho alguma vantagem em resgatá-los para amortizar o empréstimo? Mesmo contando com a penalização? Como poderei calcular a penalização?
    Obrigada pela sua ajuda. Um Abraço. Maria José Monteiro

  4. Pedro Pais Setembro 8, 2008 at 21:39 #

    Maria,

    De facto amortizar o crédito habitação é dos melhores investimentos que se pode fazer e é recomendável face à maior parte dos investimentos tradicionais. Em relação às penalizações do PPR, não lhe sei dizer, muito sinceramente. Até porque se beneficiou dos benefícios fiscais deve ter de os voltar a repôr.

  5. JOÃO Outubro 27, 2011 at 17:17 #

    Boa tarde

    Gostaria se possivel me informar se isto é veridico?

    O TAL IMPOSTO QUE SE DIZ QUE SE VAI PAGAR REFERENTE AO SUBSIDIO DE NATAL …… SUPONHAMOS QUE A EMPRESA NÃO PAGA O SUBSIDIO DE NATAL AO TRABALHADOR ESSE IMPOSTO PODE SER COBRADO NA MESMA A ESSE TRABALHADOR???

Deixar uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa