Atalhos

Extrapolações erróneas


A conclusão

Um artigo do Tek (do Sapo), afirma que quatro quintos dos portugueses já compraram na Internet.

Assim que li a notícia pus-me a pensar, ora bem,… 4/5 de cerca de 10 milhões dá qualquer coisa como 8 milhões. Mas… espera lá, que eu saiba nem sequer existem 8 milhões de utilizadores da Internet em Portugal. Neste momento era claro que havia algo de errado, decidi investigar melhor.

O estudo

Fui então ler o tal estudo sobre o comércio electrónico em Portugal, disponível na ACEP e na NetSonda (empresa que efectuou o estudo).

Na página 3 do referido estudo pode ler-se:

A técnica de recolha de informação utilizada foi o inquérito online a 869 utilizadores de Internet residentes em Portugal, com mais de 16 anos e registados na Netsonda.

O estudo é bastante claro sobre qual foi a população alvo do estudo. Utilizadores da Internet, com mais de 16 anos e registados na Netsonda. Isto parece-lhe representativo de toda população nacional? Não, certamente que não.

A realidade

Não estou, de forma alguma, a contestar a utilidade ou veracidade do estudo, mas a realidade é que temos de ser críticos sobre aquilo que lemos. Não cabe na cabeça de ninguém considerar que os portugueses registados na Netsonda sejam representativos da população portuguesa – quanto muito (e tenho dúvidas), poderiam ser representativos da população portuguesa que acede à Internet.

O jornalista que publicou a notícia no Tek ofereceu-nos, no entanto, uma oportunidade única. Entendermos que nem tudo é o que aparenta ser e que não nos devemos precipitar em tirar conclusões sem as suportarmos devidamente.

Última actualização: 24/12/2010

Partilhe:

6 comentários a Extrapolações erróneas

  1. SN Abril 11, 2007 at 16:31 #

    O “core business” da Netsonda é exactamente esse – fazer com que a amostra de uitlizadores que eles (têm e seleccionaram), representem fielmente a Web. Exactamente como nas sondagens para eleições.

    A estatística é uma arte secreta 🙂

  2. Pedro Pais Abril 11, 2007 at 17:25 #

    SN, sem dúvida. Mas a questão essencial não é essa, mas sim que o alvo não foi a população portuguesa, mas sim e cito do estudo:

    O alvo definido para o estudo realizado foi uma amostra representativa dos utilizadores da Internet em Portugal.

    E esse sim é o problema do artigo do Tek, extrapolar de utilizadores da Internet em Portugal para todos os portugueses.

  3. era_uma_vez Abril 17, 2007 at 14:12 #

    Estatisticas, uma arvore = a Floresta, com 99,23% de probabilidade.

    Tudo depende como é realizada a amostra e o proprio inquerito, mas hoje em dia é possivel dizer SIM e NÃO. Com estudos e estatisticas, cabe ao utilizador da informação decidir qual das respostas quer seguir.

  4. Pedro Pais Abril 17, 2007 at 18:22 #

    Eu não tenho quaisquer dúvidas sobre as potencialidades da estatística. Mas também não tenho quaisquer dúvidas em dizer que o resultado deste estudo foi mal interpretado.

  5. Salvador P. Gouveia Outubro 12, 2007 at 16:38 #

    Caro Pedro,

    Só hoje tive conhecimento deste blog e texto que abordam o tema do estudo sobre Comércio Electrónico realizado pela Netsonda. De facto existe um erro na intepretação jornalistica do relatório deste estudo, que aliás está disponível de forma livre em http://www.netsonda.pt, e onde está a resposta ao erro de que falam neste blog. Assim, passaria a esclarecer:

    -Quando refere a amostra de indivíduos com mais de 16 anos, ela não se trata de uma amostra da população portuguesa, mas sim dos utilizadores de internet em Portugal, sendo 16 anos a idade mínima estabelecida pela ESOMAR para participar em estudos de mercado.

    -O mesmo erro é usado na vossa análise, derivada provavelmente de uma análise errada do TekSapo ou de outro órgão, onde diz que 4/5 da população já comprou na Internet. Mais uma vez, o valor refere-se ao universo dos utilizadores de internet em Portugal e não da população portuguesa, como é óbvio.

    -Importante ainda referir que os inquiridos se tratam de utilizadores frequentes de Internet, facto esse que influencia uma maior utilização das tecnologias e funcionalidades na Internet, facto esse devidamente registado no relatório do estudo.

    Espero assim ter esclarecido as vossas dúvidas. Como disse o estudo está disponível para consulta. Não posso deixar de referir que a bem do rigor científico, antes de colocarem tais comentários, poderiam ter procurado o estudo ou entrado em contacto com a Netsonda.

    Cumprimentos,

    Salvador P. Gouveia

  6. Pedro Pais Outubro 12, 2007 at 16:58 #

    Caro Salvador Gouveia,

    Obrigado por ter esclarecido as nossas dúvidas.

    Na realidade não havia quaisquer dúvidas. O presente artigo apenas servia para ilustrar que facilmente as pessoas tomam conclusões erradas.

    A bem do rigor científico realcei que o TekSapo tinha, erroneamente, extrapolado um conjunto limitado de utilizadores para toda a população portuguesa.

    Aliás, se ler o artigo com atenção pode confirmar que não coloco em causa a veracidade do estudo, apenas a interpretação que os jornalistas do TekSapo fizeram do mesmo.

    A própria edição do TekSapo teve o rigor necessário para corrigir a informação e referir o erro em rodapé.

    Para que fique claro, eu NUNCA referi que 4/5 da população portuguesa já tinha comprado na Internet. Restringi-me a ironizar o facto de tal informação vir num artigo do TekSapo.

    De qualquer forma, agradeço a sua explicação. Lamento se de alguma forma dei a entender que duvidava da credibilidade do vosso estudo, até porque o meu conhecimento estatístico não me permite tal avaliação.

Deixar uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa