Atalhos

Simulador avançado de tarifas de electricidade



Graças ao leitor Ddascaldas foi possível disponibilizar um excelente e avançado simulador de tarifas de electricidade, especialmente útil para quem é cliente EDP no mercado regulado, pois permite perceber qual a opção mais barata, entre tarifa simples, bi-horária e tri-horária.

Este simulador é uma melhoria significativa ao simulador já existente no blog e um complemento aos simuladores da ERSE

Mais uma vez, esta é uma óptima oportunidade de agradecer a todos os que enviam ferramentas e artigos e a todos os que participam nos comentários e na discussão de tópicos do fórum. Obrigado e espero continuar a contar convosco.

Última actualização: 02/02/2017

Partilhe:

, , , ,

6 comentários a Simulador avançado de tarifas de electricidade

  1. hugo Julho 20, 2009 at 15:15 #

    ” Pedro Pais em Agosto 18, 2008 @ 16:05 (#53)

    Zé Luís,

    À partida o BPN é um banco seguro, pelo que não deverá ter problemas. De qualquer forma, precaver-se só faz é bem. Pode reduzir o risco (que já é baixo) dispersando o seu capital por diversos bancos. ”

    muitos parabéns… vou seguir os seus conselhos com muita atenção!

  2. Cristina Abril 21, 2010 at 15:06 #

    Boa tarde.

    Tenho uma dúvida em relação à factura da EDP, não sei se este é o melhor sítio, mas aqui vai.
    Alguém sabe se aquelas pessoas que nem sequer têm antena de TV no prédio e a TV é visualizada a partir da Zon, Meo, etc. têm de pagar na mesma aquelas taxas que a EDP cobra de Contr. Áudio-Visual?

    Obrigada.

  3. Mário Cruz Abril 21, 2010 at 17:06 #

    Contribuição para o audiovisual, «A DECO informa:
    A DECO tem vindo a registar um aumento considerável de e-mails e carta a solicitar esta mesma informação, pelo que cumpre informar os consumidores sobre este tema.
    Ora, com a taxa em apreço pretendeu-se assegurar o financiamento do serviço público de radiodifusão (anteriormente efectuado pela “taxa de radiodifusão”) e, simultaneamente, assegurar o financiamento do serviço público de televisão.
    De facto, então, sob a denominação de “taxa de radiodifusão”, suscitou-se a questão da legalidade da cobrança de tal taxa. No entanto, tal questão prendia-se com a razão da Taxa RS dever ser entendida como um verdadeiro imposto, facto que, formalmente, impedia que o seu valor fosse, como era, fixado por simples acto de “Portaria”, em vez de um instrumento jurídico mais solene (Lei ou Decreto-Lei).
    Tal situação foi considerada pelo Tribunal Constitucional, por duas vezes, como inconstitucional, sendo que, no entanto, tais declarações de inconstitucionalidade valeram unicamente para esses dois casos em concreto, o que, em termos práticos, nada prejudicou a vigência da taxa, bem como a legalidade da sua cobrança.
    Isto quer dizer que nunca esteve em causa a legalidade da cobrança da taxa de radiodifusão, bem como não pode ser posta em causa a actual “contribuição para o audiovisual”, na linguagem da nova lei.
    Seja como for, no caso do utente do serviço de fornecimento de energia eléctrica, em cuja factura é cobrada a taxa em causa, não pretender liquidar o seu valor, deverá ser-lhe facultado o direito de pagar unicamente o valor do fornecimento de energia eléctrica, sem prejuízo, obviamente, da aplicação das consequências legais do não pagamento de uma taxa (vencimento imediato dos restantes duodécimos e a sua exigibilidade em dobro, bem como pagamento dos respectivos juros de mora), através de processo de execução tributária.»
    Pela leitura depreende-se que terá de ir a tribunal se quiser valer o seu ponto de vista (não pagar). Por outro lado, a EDP é um mero cobrador de uma receita fiscal e se o contribuinte não pagar vai informar as finanças do facto. Sujeita-se a um processo fiscal. O meu conselho é pagar para evitar chatices. A não ser que queira gastar dinheiro em tribunais…
    Cumps

  4. Mário Cruz Abril 21, 2010 at 17:11 #

    Resposta da EDP
    A contribuição para o áudio-visual é um tributo que incide sobre o fornecimento de energia eléctrica, encontrando-se a EDP Serviço Universal, assim como os restantes comercializadores de electricidade, legalmente obrigada (1) a facturar e a exigir o seu pagamento, conjuntamente com o preço do fornecimento de energia.

    Assim, com excepção dos consumidores cujo consumo anual seja inferior a 400 kWh, que se encontram legalmente isentos (2) , não nos será possível, à face da lei, satisfazer a sua pretensão.

    Por último, gostaríamos ainda de referir que perante as obrigações legais relativas à contribuição áudio-visual, a EDP Serviço Universal deve informar a DGCI (3) e a Rádio Televisão de Portugal SGPS, SA de todas as situações de falta de pagamento da contribuição áudio-visual.

    Com os melhores cumprimentos,

    Pela EDP Serviço Universal, SA

  5. Cristina Abril 21, 2010 at 17:17 #

    Obrigada Mário.

    Se eles respondem assim é porque devem ter a sua razão legal. De qualquer das formas continua a dúvida!! E se habitássemos numa casa sem rádio e sem TV!!! Porquê pagar isso? Enfim… Leis!!!

  6. sergio Agosto 16, 2012 at 19:56 #

    Razao nao teem nenhuma ,mas como nao podemos fazer frente a esses ladroes , pagamos e nao bufamos.
    sou administrador de condominio num predio de 5 andares, nao tem televisao nas escadas ou partes comuns , nao alimenta sequer os amplificadres de antena porque nao tem, porque pagar???
    os meus pais teem 2 poços de rega ,onde os contadores existem so para alimentaçao de motores de rega electricos, em plenas plantaçoes agriculas, nao tem televisao nem radio la, porque pagar?
    como eu digo sao uma cambada de ladrões, esta tudo escancarado nas facturas, com tantas taxas de passagem que nem sei se existem, mais as ajudas para as regioes autonomas( eles nao querem ser independentes?? entao que paguem sozinhos os seus gastos)

Deixar uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa