Atalhos

Compra de casa: dicas e poupança no crédito

Se está a pensar comprar ou trocar de casa é possível poupar dinheiro, seguindo algumas dicas e sugestões simples, especialmente se recorrer a crédito habitação. Na generalidade, o fundamental é aplicar bom-senso, mas é importante realçar o óbvio.

Escolha da casa – tenha paciência e negoceie

O primeiro passo de todo o processo consiste em escolher a sua casa. A regra de ouro é não se precipitar, o que na prática pode não ser fácil, uma vez que se trata de uma aquisição altamente emocional. Ainda assim, pondere bem a decisão e se possível discuta a opção com família e amigos.

Escolhida a casa, não se esqueça de negociar bem com o vendedor para garantir que está a fazer uma boa compra; a margem de manobra é maior do que parece, além de que há sempre outras casas para comprar. Obter um bom preço é importante, mais que não seja porque os bancos vão olhar para a relação entre o valor que pede emprestado e o valor da casa.

Analise todos os custos – é sempre a “somar”

Comprar uma casa tem um conjunto de custos que importa conhecer e que deve contemplar na sua análise. Entre os custos da escritura, os impostos e afins, é bem possível que tenha de gastar ainda uma proporção significativa do valor do imóvel. Não se esqueça também que a compra de casa tem associado outros custos como os seguros, o condomínio, obras, e outras despesas ligadas à manutenção de um imóvel.

Se já tiver uma casa pode ver se existe hipótese de permuta, poupando nos impostos. Adicionalmente, os custos associados a uma casa e a outra não são necessariamente iguais. Por exemplo ao nível do condomínio existem prédios com valores muito baixos e outros que funcionam pela bitola inversa.

Deve sempre ponderar também o cenário de arrendamento, especialmente se for muito jovem e/ou tenha pouca estabilidade familiar ou profissional. Frequentemente não é o caso, mas em certos locais do país arrendar é financeiramente mais vantajoso do que adquirir.

Procure o melhor financiamento – milhares de € ao longo da vida

Se optar pela compra de casa, sugerimos fortemente que consulte diferentes instituições financeiras para negociar as melhores condições. Mais uma vez, não se esqueça de negociar! Os bancos estão hoje em dia mais abertos a conceder crédito, especialmente crédito para compra de habitação. Assim, é já possível ter financiamento com spreads abaixo de 2%.

Para evitar gastar o seu tempo e obter uma ajuda profissional, poderá sempre recorrer aos nossos serviços de pesquisa e negociação do melhor crédito habitação. De notar que este serviço não tem um custo associado e não tem qualquer compromisso, pelo que só tem a ganhar em submeter o seu pedido de análise.

Já tem crédito habitação?

Se actualmente já possui crédito habitação, com spread acima de 2%-2.5%, saiba que é possível poupar muito dinheiro com a transferência do seu crédito habitação para outra instituição financeira. Até há bancos que suportam a totalidade ou quase totalidade dos custos de transferência, o que torna a situação ainda mais aliciante. Aqui também podemos ajudar!

Poderá ainda poupar dinheiro através da renegociação dos seguros associados ao seu crédito habitação. Aí consegue poupar manter ou mesmo aumentar as coberturas ao mesmo tempo que baixa o prémio de seguro.

Última actualização: 10/11/2017

Partilhe:

, , ,

13 comentários a Compra de casa: dicas e poupança no crédito

  1. Martins Julho 6, 2016 at 10:54 #

    Bom dia, tenho um credito a habitação com spread de 2%, e quero mudar para outra instituição com spread mais barato. Quais são as instituições que suportam a totalidade das despesas de transferência e que tem spread abaixo do meu spread?

    • Humberto Janeiro 18, 2017 at 13:21 #

      Bom dia.
      Gostaria de saber se ainda há bancos que suportam a totalidade dos custos com a transferência do crédito habitação ?

  2. Sofia Julho 14, 2016 at 21:34 #

    Boa noite Pedro.
    Preciso da sua ajuda para, se possível, esclarecer algumas dúvidas.
    Comprei casa (casa muito antiga), sendo que o valor de escritura foi 62.500€, mas isto apenas para conseguir que o banco nos 80% máximo de crédito à habitação me emprestasse os 50.000€ que efectivamente os antigos proprietários me estavam a pedir. Comprometi-me a pagar as mais valias que pudessem vir a existir sobre esse valor a mais declarado (12.500€, da diferença entre o efectivamente pago e o valor de escritura). Agora pedem-me 2375€ destas mais valias, sabendo eu que as mesmas apenas são calculadas sobre 6.250€ que são os 50% sobre os quais se faz o calculo. Penso que o valor esteja exagerado, mas preciso que me confirme se faz favor.

    Penso que seja importante referir que o valor de 50.000€ foi pago pelo banco através de transferência bancária ao viúvo, mas que o mesmo tem 3 filhos casados que também estiveram presentes e assinaram a escritura junto com as cônjuges. Não sei se será relevante, a casa é muito antiga, mas foi feita habilitação de herdeiros há 1 ano atrás (incluo este pormenor porque li que casas anteriores a 1989 são isentas de tributação, mas como foi feita a habilitação de herdeiros não sei se interfere).

    Peço-lhe então ajuda sobre o valor a pagar ou como se processa a formula de cálculo e pergunto também quando é que os vendedores terão de declarar as mais valias e pagar as mesmas, uma vez que o negócio foi feito o mês passado e neste momento já me pedem o dinheiro (que julgo eu será apenas pago por eles algures no ano que vem)

    • Pedro Pais Julho 15, 2016 at 11:17 #

      A mais-valia é calculada assim:

      ( Valor de realização – Valor de Aquisição * Coeficiente de desvalorização ) * 50%

      Quanto ao valor do imposto propriamente dito, dependerá dos restantes rendimentos do contribuinte, porque estas mais-valias são englobadas para efeitos de aplicação da taxa.

  3. Sofia Julho 15, 2016 at 11:44 #

    Obrigada pela resposta Pedro,
    Mas diga-me mais uma coisa, se me conseguir ajudar.
    A casa foi de herança, logo, como sei qual o valor a considerar para valor de aquisição? (é algum dos valores que tenho nos documentos que me foram entregues na altura que pedi o crédito?) E a casa sendo de 1975, mas tendo sido feita a habilitação de herdeiros há 1 ano atrás, qual o coeficiente de desvalorização a considerar?
    E tendo sido o pagamento feito por transferência do banco apenas para o pai (o viuvo), a taxa a aplicar será calculada com base nos rendimentos apenas dele, certo? É que um dos herdeiros disse-me que a taxa dele (próprio) era de 38% e a conta que fez foi somente e só esta:

    6250€ (ou seja, 50% do valor a mais declarado na escritura que foi 12500€) taxado a 38% = 2375€ É certa esta forma de realizar a conta???? É isto que preciso mesmo saber, porque penso que me estão a enganar na forma como estão a fazer o cálculo.

    E quando é que eles terão de pagar este valor das mais valias? Isto porque me tinha sido dito que este valor só será pago por eles ao Estado em 2017 e estão a exigir-me o dinheiro já (antes mesmo de fazerem a entrega do IRS…)

    Obrigada pela ajuda que me possa dar.

    • Pedro Pais Julho 15, 2016 at 12:29 #

      Esse processo é todo um bocado estranho, se quer que lhe diga.

      Sobre o valor de aquisição a título gratuito, é definido de acordo com artigo 45.º do Código do IRS.

      Quanto à questão da herança, é difícil analisar assim a coisa.

      A conta pode ser mais ou menos essa, sim. É possível que outro herdeiro tenha outra taxa, mas essa imputação / separação pode não ser fácil.

    • Sofia Julho 15, 2016 at 12:40 #

      Ok, Pedro. Muito obrigada.

      Diga-me só então quando será suposto os vendedores terem de entregar ao o valor das mais valias desta venda. Para eu saber quando terei de lhes dar o dinheiro, se tem mesmo de ser agora ou se poderá ser só em 2017 e em que altura do ano (calculo que esta venda só irá entrar no IRS de 2016 a entregar em 2017, não??)

      Mais uma vez obrigada.

    • Pedro Pais Julho 15, 2016 at 15:20 #

      Se a venda foi em 2016, é no IRS a entregar durante 2017.

  4. Marcelo Ferrão Julho 19, 2016 at 3:06 #

    Sr. Pedro Pais,

    Não há simulador que me valhe! Afinal que juros em é que falta pagarem-me?

    Reembolso seria em 4/8/2009; foi 15 dias antes: 20/7/2009.

    Em 20/7/2009 recebi: 10% do Capital: 10.000,00€ + Juros ilíquidos: 6.889,84€

    Em 31/3/2010 recebi: 90% do Capital: 90.000,00€ + Juros ilíquidos: 3.160,49€

    90% do capital retido: 254 dias de mora.

    Taxa de Juro: 7,165%

    Mora:…juros contados dia-a-dia à Taxa de Intervenção, aplicável a essa emissão, acrescida de 2% ao ano.”

    Taxa de Intervenção: ± 2,428%.

    Margem: Onde se encaixa este parâmetro no cálculo, pode ajudar-me?

    Considerar para cálculo de juros: 360 dias. IRS que consta no Programa: 20%

    Taxa de Incumprimento: 2%.

    Isto não está fácil! Agradeço a sua intervenção apelando ao seu Know-how.
    Respeitosamente,
    Marcelo Ferrão

    • Pedro Pais Julho 19, 2016 at 18:48 #

      Desculpe, não estou bem a ver o contexto do seu comentário. Pode por favor descrever com informação adicional?

  5. Carlos Ribeiro Julho 28, 2016 at 11:40 #

    Boa tarde,

    no caso de trocar o empréstimo Habitação de um Banco para outro, tem de se efectuar uma nova escritura??

  6. Fabier Agosto 19, 2016 at 20:34 #

    Esta tão difícil comprar uma casa nos dias atuais, que chego a desanimar.

  7. margarida Outubro 28, 2016 at 8:56 #

    Bom dia!
    Necessitamos de um conselho a nível de créditos habitação.
    Temos um apartamento t1 com um capital em dívida 60.000€ com spread 0,5%, e como a família esta a crescer, já tenho um filho e estamos a tentar o segundo queremos mudar de casa.
    Recebemos uma herança de 55000€ e estamos a pensar comprar uma casa. Ao falar com uma amiga que trabalha num banco diferente do meu disse que há bancos que aceitam ter dois empréstimos habitação, desde que coloque uma como arrendamento e não estão a mexer no spread.
    A nossa questão é o que faria visto que não queremos vender o t1 e é um apartamento facilmente alugado por estar no centro da cidade, liquidava o apartamento e pedíamos um empréstimo quase na totalidade da casa que andamos a ver? Ou dávamos de entrada os 60000€ na moradia de 200000€? É que o imt é um balbúrdio se escriturar por esse valor… A nossa taxa de esforço é 800€ e não temos mais nenhum crédito, só mesmo o do apartamento que são 180€, o banco empresta a 85% do valor da avaliação a spread de 1%.

    Muito obrigada

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa