Atalhos

É bem-sucedido? Tenha cuidado!



Todos conhecemos vários casos de desportistas ou artistas bem-sucedidos que contra todas as expectativas acabam por se deparar com situações financeiras deploráveis. Embora este tipo de profissões tenha grande exposição pública, pelo que vamos conhecendo tais realidades, o problema apresentado é transversal a quase todas as profissões: professores, vendedores, engenheiros, profissionais de saúde, etc. Se pensar bem, certamente que irá encontrar no seu círculo familiar e de amizades alguém bem-sucedido na sua profissão mas que, por um ou outro motivo, passam por dificuldades financeiras significativas. Porque será?

Parece estranho que alguns dos bem-sucedidos profissionalmente, com rendimentos elevados, acabem por ter dificuldades financeiras, mas os motivos são vários:

Competências distintas

O êxito profissional e a tomada de decisões financeiras sensatas exigem tipo de competências muito distintas. A título de exemplo, aquilo que faz de uma pessoa bom médico (e.g., conhecimento da anatomia humana) não é o mesmo que a torna capaz de escolher um cabaz de investimento adequado (e.g., conhecer os riscos de determinada aplicação financeira). Obviamente que é possível a um médico “equipar-se” com o conhecimento necessário para gerir a sua vida financeira, através de estudo próprio ou de acompanhamento profissional de confiança.

Estilo de vida acompanha ou ultrapassa crescimento dos rendimentos

Quando um profissional bem-sucedido se vê perante um crescimento significativo dos rendimentos existe a tentação de alterar o estilo de vida, de tal forma que os gastos acompanhem a tendência. Em certos casos, os gastos acabam mesmo por ultrapassar os rendimentos, uma vez que se espera que estes últimos subam brevemente. Ora, se por um lado é totalmente razoável que com o aumento de rendimentos se pretenda obter melhores condições de vida, não aproveitar a oportunidade para aumentar a poupança (base incontornável de uma boa gestão financeira) nem para se precaver contra situações inesperadas é bastante insensato.

Custo do estatuto

Ser-se bem-sucedido cria a expectativa perante terceiros de mostrar um certo estatuto, que pode ter um custo incomportável. Assim, alguns dos bem-sucedidos acabam por ceder à tentação, escolhendo a casa que comprar, o carro que conduzir ou as férias que gozar em função da apreciação de terceiros (frequentemente ilusória), ao invés de adequarem as escolhas à sua situação, necessidade e objectivos.

Auto-confiança exagerada

Com frequência o sucesso cria uma ilusão de que tudo na vida correrá bem. Infelizmente, nem sempre é assim e situações com impacto financeiro muito significativo como desemprego, doença, divórcio e fraude, podem acontecer a qualquer um, até ao mais bem-sucedido. Quando a febre do sucesso impede uma pessoa de se precaver contra tais eventualidades, porque assume que este sucesso não terá fim e que tudo na vida correrá sempre de feição, as consequências podem ser desastrosas.

Pensar que o sucesso é transversal

Ligado ao ponto Competências distintas e Auto-confiança exagerada, o profissional bem-sucedido pode implicitamente ter um optimismo injustificado nas decisões que toma nas restantes áreas da sua vida, em particular a financeira. Em particular no caso dos investimentos financeiros, muito frequentemente as pessoas bem-sucedidas profissionalmente têm a tendência para assumir que as suas escolhas são as melhores, ignorando factores importantes como a volatibilidade e riscos das aplicações, a assimetria de informação (especialmente em relação a investidores profissionais) e a inegável e demonstrada realidade de que esmagadora maioria dos investidores – incluindo profissionais – não consegue obter rendimentos superiores aos do mercado. A ocorrer, este optimismo exagerado pode trazer grandes dissabores.

 

Mas ser bem-sucedido é uma enorme vantagem

Em relação aos pontos apresentados, a nossa experiência na área das finanças pessoais tem demonstrado que são das principais razões da desgraça financeira de alguns profissionais bem-sucedidos. Ainda assim, é justo dizer que ser bem-sucedido, com rendimentos elevados, tem enormes vantagens e tem o potencial de facilitar extremamemente a vida financeira, uma vez que com altos rendimentos grande parte do problema estará resolvido. Pior estarão os que tomando as melhores decisões financeiras possíveis dispõem de rendimentos diminutos (ainda que vários sejam excelentes profissionais), o que cria grandes limitações ao que é possível atingir.

Última actualização: 11/09/2014

Partilhe:

, , , ,

10 comentários a É bem-sucedido? Tenha cuidado!

  1. Márcio Oliveira Setembro 11, 2014 at 10:37 #

    Bom dia,
    Isto de querer dar uma imagem de grandeza perante a sociedade dá mesmo em fortes dissabores. Desde sempre se sabe que o dinheiro não é de quem o ganha, mas sim de quem o poupa…
    Vive-se numa sociedade com poucos valores, em que as pessoas olham mais para o que os outros falam e pensam do que propriamente no seu bem estar. Todos querem crescer e fazem tudo para aparecer, muitas das vezes em cenas ridículas.
    Estou em crer que a maioria dessas “celebridades” que só querem aparecer na televisão e revistas cor de rosa, não têm o estatuto nem a possibilidades que querem aparentar, contudo, vale tudo só para aparecer.
    Sejam humildes, e certamente terão outro reconhecimento.

    cumprimentos, e parabéns pelo vosso trabalho

  2. Helmarques Setembro 11, 2014 at 11:49 #

    Bom artigo e com um final excelente..Deus dá nozes a quem não tem dentes, acho que é assim que se diz…

  3. sinbad Setembro 11, 2014 at 12:06 #

    Muito verdade e muito bem escrito.

  4. Pedro Setembro 11, 2014 at 13:25 #

    falta de educaçao financeira apesar do sucesso profissional é meio caminho para que as pessoas cometam erros financeiros mt grandes! recomendo a leitura dum livro de seu titulo “Pai Rico, Pai Pobre” mas decerto haverá outros que abordem este tema… quem quiser partilhar com os leitores titulos de livros importantes sobre este tema seria uma mais valia para diminuir a falta de educaçao financeira.

  5. Maria Setembro 12, 2014 at 17:43 #

    Parabéns pelo seu artigo: sucinto e elucidativo. No entanto o problema encontra-se em todas as camadas da população. Temos por um lado pessoas geralmente mais idosas que sempre amealharam com medo do que o futuro traria e temos outras,principalmente mais novas que muitas vezes,gastam o dinheiro dos pais (sem pensarem no esforço que custou a amealhar ) e aquilo que ganham e ainda o que o cartão de credito facilita.
    A estas tendências nao se alheia a mania da ostentação e de meter inveja aos outros. Como os americanos dizem: ” to make it you have to fake it and if you Don’t make it you have to fake it as . Enfim a mentalidade do faz de conta que meteu muitos portugueses e o país num buraco donde vai ser difícil sair.

    A minha experiência : gastar e investir nos bens essenciais para viver saudável e conservar a saúde, ja que sem saúde vai-se tudo abaixo,
    Fazer empréstimos só para bens que mantém o valor ( tanto quanto possível ). Penso em habitação própria e carro em segunda mão.
    Fazer despesas supérfulas consoante os rendimentos reservando sempre uma percentagem para poupança.
    Finalmente em qualquer situação de muito ou pouco dinheiro controlar de vez em quando ou regularmente quanto entra e quanto sai,para nao ter surpresas desagradáveis.
    Casais deveriam antes de iniciarem uma vida em comum falarem seriamente sobre questões económicas. Muitos conflitos surgem mais tarde ou só vem ao de cima quando estão os dois enterrados nas dividas e um acaba arrastado /a pelos problemas causados pelo outro ( ou pelos filhos).

  6. Maria Setembro 12, 2014 at 17:45 #

    Correção : and if you Don’t make it you have to fake it as well so you can make it.

  7. PATRICIA Outubro 3, 2014 at 13:25 #

    Obrigada Pedro por existir. Graças a si a pouca formacao financeira que tenho é apoiada pelo seu blog e repectivas ferramentas:)

  8. Roy Outubro 18, 2014 at 3:24 #

    Obrigado pelo seu Blog, como estrangeiro gosto de estar em dia no que se passa em Portugal.

  9. Vanessa Queiroz Dezembro 11, 2014 at 23:47 #

    O dinheiro se não for bem administrado acaba sendo gasto de forma incoerente com os ganhos. E como dito no texto, precisa ser investido com o auxílio de especialistas para que seja escolhida a modalidade correta.

  10. nuno afonso Fevereiro 8, 2015 at 14:51 #

    realmente saber gerir é uma ciencia!! nem todas as pessoas sabem gerir ou fazer ainda mais dinheiro.. por mais que tenham..,especialmente quando se ganha demasiado depressa!!! quem nunca teve e chega a ter nem o diabo os pode sofrer….!!!

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa