Atalhos

IRS 2014 – recomendações, questões e recursos

Dia 1 de Abril começou a 1ª fase da entrega do IRS 2014 pela Internet, para quem tem exclusivamente rendimentos de trabalho dependente e/ou de pensões. Se está nesta situação, tem até dia 30 para entregar a sua declaração.

Para que tudo corra da melhor forma possível deixamos-lhe algumas recomendações, bem como o esclarecimento de algumas dúvidas mais comuns.

Recomendações

  1. Senhas: Aceda ao portal das finanças e verifique se a sabe a sua senha e se ainda se encontra válida, assim caso tenha algum problema ainda vai a tempo de pedir uma nova. Se entregar a declaração em conjunto com outra pessoa, peça-lhe que também confirme.
  2. Documentação: Prepare desde já toda a documentação necessária. Isto inclui ter uma declaração da entidade patronal/pagadora de pensão dos rendimentos pagos e retenções efectuadas, bem como os comprovativos das despesas efectuadas em 2014 que possam ser usadas no IRS, organizadas por tipo.
  3. Confirmação de rendimentos e retenções: Relativamente à declaração da entidade patronal/pagadora de pensão dos rendimentos pagos e retenções efectuadas, convém verificar se os valores apresentados estão correctos. Caso não estejam, deve entrar em contacto com a entidade para os esclarecer/corrigir, uma vez que esses valores devem vir pré-preenchidos na declaração de IRS e caso os modifique poderá gerar divergências e “congelar” quaisquer reembolsos a que tivesse direito.
  4. Deduções aceites IRS 2014:
  • Saúde
  • Educação e formação profissional
  • Juros de dívidas suportadas com a aquisição de habitação própria permanente (certos casos)
  • Rendas de habitação permanente (certos casos)
  • Encargos com lares relativos aos sujeitos passivos, ascendentes e colaterais até ao 3.º grau
  • Prémios de seguros de saúde
  • PPR
  • 15% do IVA suportado nos encargos com manutenção/reparação de automóveis e motociclos, alojamento, restauração e cabeleireiros
  • Despesas efectuadas com a educação e a reabilitação do sujeito passivo ou dependentes com deficiência,
  • Prémios de seguros de vida por sujeitos passivos com deficiência
  • Pensões a que o sujeito passivo esteja obrigado por sentença judicial ou acordo homologadonos termos da lei civil
  1. Simulações: Logo que possível deve preencher a sua declaração e efectuar uma simulação. É importante que o faça pois caso surja alguma dúvida tem tempo para a esclarecer, sendo que quanto mais perto do fim do mês mais caóticos estarão os serviços das finanças.
  2. Opções: No caso de ter diversas opções relativamente a algum campo, experimente efectuar simulações optando por uma ou outra situação, apontando o resultado obtido, sendo que posteriormente deve perceber se pode livremente optar pela que lhe for mais vantajosa ou se existem restrições; os serviços das finanças podem ser especialmente úteis nestes casos.
  3. Arquivo: Depois de preencher e entregar a declaração, guarde toda a papelada num dossier devidamente organizado.

Dúvidas frequentes

  • Dispensa de declaração? Só está dispensado de efectuar declaração quem tenha tido apenas rendimentos sujeitos a taxa liberatória e não opte pelo seu englobamento (e.g., juros de depósitos a prazo), e rendimentos de pensões pagas por regimes obrigatórios de protecção social ou rendimentos de trabalho dependente de valor inferior a € 4.104.
  • União de facto, declaração em separado ou em conjunto? Os unidos de facto podem optar por entregar a declaração em conjunto ou em separado; é uma questão de experimentar e optar pela solução mais económica.
  • Dedução de IVA no IRS, como fazer? A dedução de IVA no IRS é automaticamente assumido pelo programa de liquidação e será discriminado na nota demonstrativa da liquidação.
  • CES, onde colocar? A Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) deve ser colocada no campo “Contribuições” do Anexo A, por ser considerada equivalente às contribuições obrigatórias para regimes de protecção social.
  • Sobretaxa, onde colocar? A Sobretaxa Extraordinária deve ser colocada no campo “Retenção Sobretaxa”, no Anexo A.
  • Tenho de saber os limites das deduções à colecta? Não, basta colocar o somatório no campo respectivo, que o sistema de apuramento do IRS limita automaticamente os valores a utilizar, em função da sua situação.

Recursos adicionais

Folheto da Autoridade Tributária
Modelo 3 – programa da AT para entrega da declaração
Simulador IRS 2014 – Francisco Mesquita
Simulador IRS 2014 – iRX
Quadro de discussão sobre impostos (Fórum Finanças Pessoais)

Última actualização: 06/04/2015

Partilhe:

, ,

113 comentários a IRS 2014 – recomendações, questões e recursos

  1. ANA Maio 19, 2015 at 14:31 #

    Boa tarde, gostava de saber como preencher o anexo E, isto porque estava a pensar optar pelo englobamento dos rendimentos de capitais ( catg F),e como tive mais valias em ações e juros de depósitos não sei como fazer e se posso.
    Obrigado

    • Joaquim Félix Maio 19, 2015 at 22:23 #

      para englobar tem que englobar tudo, os rendimentos prediais Cat F e os rendimento de capitais Cat E, estes últimos já devia ter sido pedido a declaração ao banco dos mesmos, é pedido no final do ano ou em janeiro…

  2. Paula Pereira Maio 19, 2015 at 23:14 #

    Boa noite, parabéns e obrigado pelo blog,
    Tenho 2 problemas aqui mencionados que precisava de esclarecer.
    a empresa onde trabalhava faliu em set 2014 e passei a prestadora de serviços a recibos verdes (já tinha actividade aberta) desde nov 2014.
    tenho de entregar anexo ss?

    tenho acções de 2001 que foram vendidas em 2014 (quando a empresa faliu e estive “desempregada”) mas o banco não me sabe dizer a cotação e a data de compra, referem apenas que só têm indicação que foram adquiridas antes de 2002. como posso declarar as mesmas? será o artigo 48º a) válido neste caso?

    por ultimo e mais complicado!
    sou casada e proprietária de casa onde vivo com o meu marido. ele tem (de solteiro)uma casa da qual paga um empréstimo. a residência fiscal de ambos é a minha casa (presumo que tenha de ser igual).
    agora, sei que se tiver mais valias na venda de habitação própria permanente posso reinvestir sem ser “taxada”, a minha pergunta prende-se que nós, com a crise, estamos a pensar em mudarmo-nos,, vender as 2 casas e comprar só uma mais pequena/barata, agora pergunto quais as mais valias que poderão ser reinvestidas sem “taxamento”, as da minha casa, da dele (que comprou para ser Hab própria permanente), ou de ambas? como é mais provável, devido ao mercado, que as mais valias só existam na casa dele, há maneira de minimizar (por exemplo mudarmos a nossa morada fiscal para casa dele) caso só possam ser reinvestidas se forem da venda de Hab prop permanente (que julgo ser a minha casa)?

    peço imensa desculpa por chatear, gostava de recorrer a um contabilista mas não estou folgada o suficiente…

    muito obrigada

    • Joaquim Félix Maio 21, 2015 at 18:17 #

      Se tem descontos para a segurança social da empresa que faliu não precisa de preencher o anexo SS, mas se também não está isenta de descontos para a segurança social terá de fazer descontos, pois deixou de ter descontos pela empresa, veja isso na segurança social.

      A entidade bancária onde comprou as ações tem registo disso, nem que para isso tenha de pagar pela informação. Poderá dar um bocado de trabalho a eles mas têm lá tudo, o artigo 48 a) que fala desconheço…

      Está a dar a resposta à sua dúvida, só pode haver uma casa de habitação própria num casa, a 2ª casa, não é a casa de habitação própria, escolha uma delas e coloque lá as moradas fiscais. Depois a mais valia dela é 50% da diferença entre a compra e a venda (embora a venda seja sujeita a um filtro, é o valor mais alto entre a venda e o valor patrimonial que gera o IMI, senão as pessoas vendiam baratinho a um familiar….) essa mais valia tem um prazo para reinvestir. salvo erro 24 meses.
      Na outra se entender vender é idêntico o cálculo das mais valias, só que irão ser somadas aos vossos rendimentos anuais e gera um aumento de IRS a apagar.

      cps

  3. Catarina Sousa Maio 21, 2015 at 17:16 #

    Boa tarde, possuo só uma dúvida, uma compra de um disco (interno) para um portátil, pode ser considerado despesa de educação?

    Obrigada.

    • Joaquim Félix Maio 21, 2015 at 18:18 #

      não, só em caso provado que é ferramenta indispensável no curso…

  4. Joaquim Félix Maio 21, 2015 at 22:50 #

    Novidades

    IRS:
    Mais-valias de fundos de investimento vão passar a ter de ser declaradas em 2016

    http://www.dinheirovivo.pt/economia/fisco/interior.aspx?content_id=4580809&page=-1

  5. Jorge Vasconcelos Maio 26, 2015 at 2:54 #

    Boa noite

    É possível entregar a declaração de IRS apenas com os anexos H e E (uma vez que relativamente a 2014 apenas tive rendimentos de capitais)?
    Outra dúvida prende-se com a questão da declaração bancária correspondente. Nuns sítios li que continuava a ser necessária pedi-la à entidade bancária até meados de janeiro de 2015, mas também já li que tal obrigatoriedade já não será necessária. Estou confuso.

    Obrigado.

  6. Fernando Pais Maio 28, 2015 at 14:27 #

    Boa tarde, sou trabalhador por conta de outrem (funcionário público), mas estou colectado, no ano de 2014 não obtive rendimentos por isso não passei qualquer recibo verde, entreguei o anexo respectivo a zeros, mas agora surgiu a dúvida do anexo SS, tenho que entregar este anexo, apesar de não ter obtido rendimentos da actividade extra.
    obrigado

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa