Atalhos

O fenónemo do trânsito



Fila de trânsito - EUA

Todos aqueles que de manhã e ao final da tarde têm de passar pela 2ª Circular (Lisboa), sabem do que falo.

São aquelas situações em que apanhamos 2, 3, 4 quilómetros de fila para, de um momento para o outro, o trânsito começar a fluir, aparentemente sem qualquer explicação.

A verdade é que há explicação.

A 2ª Circular, em particular, é uma estrada com imenso movimento, diria mesmo que nas horas de ponta se aproxima/ultrapassa do seu caudal máximo. Ora, nestas condições, qualquer pequena desaceleração é repercutida por uma onda imensa de viaturas, provocando as tão infames enormes filas de trânsito.

E porque é que as pessoas desaceleram? Por variados motivos:

  • Porque houve um acidente numa estrada ao lado
  • Porque há uma pessoa a andar ao pé da estrada
  • Porque estão a jardinar um canteiro
  • Porque sim
  • Porque não

Convido o leitor a tentar descobrir o motivo da sua fila de trânsito, um exercício especialmente curioso quando se apanham filas enormes em horas não consideradas de ponta.

Última actualização: 13/03/2007

Partilhe:

6 comentários a O fenónemo do trânsito

  1. Paulo Moura Março 13, 2007 at 18:06 #

    Neste site http://vwisb7.vkw.tu-dresden.de/~treiber/MicroApplet/ pode fazer várias simulações de trâfego… Permite alterar variáveis que depois se repercute no trânsito…

  2. Pedro Pais Março 13, 2007 at 18:24 #

    Paulo, o site que indicaste é simplesmente espectacular.

    Vou tomar a liberdade de fazer um post a indicá-lo.

  3. JP Antunes Março 13, 2007 at 22:36 #

    Costumo realizar uma experiencia impirica que tem tido alguns resultados engraçados (dependendo da atitude dos outros condutores imediatamente atrás ou ao meu lado.

    É simples, deixo ficar um espaço razoavel do carro da frente (duas a três vezes o normal) e avanço devagar, de modo a que quando o carro da frente está a arrancar (numa situação de “para – arranca”) eu ainda não parei totalmente o meu carro, evitando assim também eu parar e arrancar. Ao fim de alguns minutos costuma haver já uma grande distancia entre o meu carro e o imediatamente atrás e o transito parece fluir melhor. Já experimentaste?

  4. Pedro Pais Março 14, 2007 at 0:22 #

    JP, propositadamente não experimentei, mas parece-me uma experiência curiosa (e segura). Vou testá-la na 2ª circular!

    Provavelmente essa é uma prova prática de que manter uma certa distância não só aumenta a segurança como pode mesmo aumentar o fluxo rodoviário. Será?

    Aparentemente faz sentido, uma vez que se os carros não tiverem sempre de estar a parar e arrancar o trânsito prevê-se mais fluído.

    Boa observação! 🙂

  5. John Friar Março 15, 2007 at 20:41 #

    Concordo com essa estrategia. Ao deixar uma distancia entre o carro da frente estamos a deixar um espaco natural que pode (e deve) ser ocupado por condutores mais experientes.
    Condutores esses que podem assim chegar mais rapido aos seus destinos enquanto os maus e lentos condutores ficam para tras.

  6. Pedro Pais Março 15, 2007 at 23:58 #

    John, a ideia não é certamente essa 🙂

    A ideia não é favorecer os condutores mais rápidos nem os mais lentos, apenas criar mecanismos artificiais que tornem o trânsito mais fluido.

    O objectivo máximo é ganhar uns minutos para todos, não ganhar para uns e perder para outros.

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa