Atalhos

Os bancos não mordem



Não sei bem porquê mas há amigos meus que vêm ter comigo a pedir-me para tirar dúvidas sobre as suas contas bancárias ou para aconselhar os melhores produtos financeiros. E digo “não sei porquê” porque na realidade não sou nenhum especialista em finanças 😛

A verdade é que muitas pessoas (também não sei bem porquê) parece que têm medo dos bancos. E a verdade é que são justamente os bancos, as instituições que melhor lhes podem esclarecer essas dúvidas.

Falar com o banco

Hoje em dia, é tão fácil falar com o banco: por correio electrónico, preenchendo um formulário no site, telefone ou deslocando-se ao balcão, só não fala com o banco quem não quer. Os maiores bancos têm mesmo centros de atendimento especializados em tirar as dúvidas ou resolver os problemas dos clientes.

Há pelo menos 3 situações em que é recomendável entrar em contacto com o banco:

  • Pedir conselhos sobre onde melhor investir o dinheiro. Toda a gente conhece os depósitos a prazo. Mas será que há algo melhor que se adeque ao nosso perfil de investidor?
  • Pedir dinheiro emprestado. Os bancos praticam as taxas mais baratas (muito mais baratas do que as sociedades financeiras que se fartam de fazer publicidade na tv)
  • Quando estamos em dificuldades financeiras. Não espere até não conseguir pagar os empréstimos – assim que começar a sentir dificuldades vá ao seu banco. É do interesse de ambas as partes resolver o problema.

Conclusão

Claro que há sempre as habituais alternativas de perguntar aos amigos; ou deixar a dúvida no fórum. Aliás, às vezes convém na mesma usar essas fontes para confirmar os esclarecimentos prestados pelo banco. Mas a única garantia de obter uma resposta profissional e virada para o seu problema específico é mesmo perguntar a um banco. Naturalmente que, como em qualquer outro lado, pode ter o azar de apanhar um funcionário menos qualificado pela frente… insista – calmamente explique-lhe que não está a conseguir fazer passar a mensagem e peça para chamar outra pessoa ou recorra ao “truque” do livro de reclamações. Faça valer os seus direitos como cliente.

Afinal de contas, os bancos não mordem 😉

Autor: Paulo Aguiar

Última actualização: 24/11/2014

Partilhe:

, , ,

21 comentários a Os bancos não mordem

  1. sara Julho 3, 2008 at 0:05 #

    venderam me como deposito a prazo e quando “dei baixa” apercebi me que era m fundo de investimento que pensei que as regalias fossem iguais
    sito me burlada! só isso
    a forma como nos atendenm ao balcao é de forma muito simplificada e só apresentam facilidades. Como quiz levantar o dinheiro fizeram contas malucas

  2. Paulo Aguiar Julho 3, 2008 at 9:34 #

    sara, das duas uma: ou o banco lhe explicou devidamente o produto e não percebeu a diferença; ou então foi mesmo burlada. Eu conheço gente que passou por ambas as situações.

    A única forma de evitar o primeiro caso é ler sempre com atenção os detalhes do produto que estamos a subscrever. Principalmente se tiver letras pequeninas. No caso de um fundo de investimento o banco é obrigado a disponibilizar ao cliente o prospecto detalhado do produto. Este tipicamente tem várias páginas, só por causa disso muita gente nem sequer o lê. Mas mesmo que seja um simples depósito a prazo, peça uma a ficha do produto.

    Quanto à situação de burla (em que o banco lhe garante um determinado tipo de rendibilidade que não se chega a concretizar ou diz tratar-se de um tipo de produto quando na realidade é outro) normalmente é difícil provar que houve efectivamente engano por parte do banco uma vez que as comunicações não ficam gravadas (daí que às vezes pedir uns esclarecimentos por email antes ou imediatamente após a subscrição nem seja má ideia). E a culpa é de ambas as partes porque, mais uma vez, devemos sempre ler atentamente a ficha do produto. Seja como for, uma atitude deste género (burla ou tentativa de) deve SEMPRE ficar registada no livro de reclamações. o BdP não pode resolver o nosso caso em concreto e pode mesmo ser difícil provar seja o que for. Mas se surgirem outras reclamações contra o mesmo gestor ou o mesmo produto alguma coisa vai ter que mudar. E às vezes, apesar de não nos trazer o dinheiro de volta, uma sensação de vingança ou justiça também faz muito bem á alma.

  3. Paulo Aguiar Julho 3, 2008 at 9:43 #

    Já agora, mesmo para um fundo de investimento que tenha dado para o torto, uma queda de 70% é um bocado demais… de certeza que não está lá ainda uma parte do dinheiro que não possa movimentar antes de um determinado período?
    Para quem passe por uma situação semelhante, peça que lhe passem essas “contas malucas” todas por escrito e coloque-as no fórum a pedir ajuda, só para confirmar que é mesmo assim…

  4. sara Julho 3, 2008 at 22:48 #

    O que acontece é que confiei demais na sra que me atendeu no BEs do Estoril. A sra perguntou se tinha algum problema em poupar por 10 anos e eu disse que nao tinha problema nisso poque era uma quantia baixa. E eu perg: E se algum dia necessitar de o levantar existe algum problema? e responderam que nao , que só perderia os juros. De 846,12 recebi 226,88.
    A forma simplificada como a funcionária explicou as coisas, acreditei nas suas belas palavras e na forma RÀPIDA me levou a assinar uma série de documentos.
    Quando quiz encerrar a o “fundo” e posteriormente a conta ordenado, e bes seguros, o sr que me atendeu poderia explicar as desvantagens do encerramento em vez de dizer que antes de fazer um ano iria perder os juros que para mim na altura era insignificante.

    Hoje fui ao balcao, para falar com a gerente, e nao tinha tempo pra me atender… amanha lá estarei… se alguma coisa correr mal pelo menos peço livro de reclamaçoes para justificar o meu desentendimento e falta de profissionalismo na forma de explicarem os produtos.

    Já tenho a “de ficha” reclamaçao para o banco de protugal…
    até já!

  5. sara Julho 15, 2008 at 23:18 #

    Paulo Aguiar desde já os meus agradecimentos pela atençao dada.
    Já falei novamente com a gestora, se seria possivel voltar ao fundo, e informou me que já nao era possivel.
    Desta forma para me sentir aliviada, mesmo que o BPortugal nao vá resolver nada.

    ObrigADA A todos pelos vossos esclarecimentos.

  6. Pedro Rebelo Julho 23, 2008 at 17:37 #

    Por vezes tentam morder e com força. Por vezes aparecem-lhes é alguns clientes que, não se deixam morder e também arreganham os dentes… Veja-se o que se tem passado comigo desde a questão da Fraude com o Cartão de Crédito Barclays.

    E quanto à questão do Portal do Cliente Bancário, ora que tendo eu tido conhecimento do dito, apressei-me a apresentar por lá uma reclamação. Não só passados 10 dias não tive resposta alguma (nem tão pouco a confirmação da recepção) como quando reportei o facto, continuei sem resposta… Que mais se há-de pensar desse serviço?

  7. Carlos Agosto 1, 2008 at 5:08 #

    Gostava de acrescentar que contactar com as entidades bancárias por email é também uma opção manhosa, ás vezes. O Millenium BCP, por exemplo, esconde bem o facto de ter email ou não porque, se formos ao site, não está visivel (eu, pelo menos, não encontrei).

    De qualquer forma, eu gosto de testar as águas antes de me envolver nas coisas e, para testar os serviços de atendimento ao cliente dos vários bancos, mandei há umas semanas atrás um email a todos os bancos que conheço (cerca de 18, excluindo o Millenium BCP, pelo motivo que já referi acima) com perguntas muito simples, do tipo, se têm custo de encerramento de conta, ou despesas de manutenção, etc (desde que tal informação não constasse no preçario, claro).

    O Banco Popular, e o BANIF, nem se dignaram a responder.

    O BBVA teve a “lata” de responder apenas para dizer que esse tipo de pergunta só pode ser respondida pessoalmente numa agência (porquê? será que a resposta varia de acordo com a cara do potencial cliente? e para que serve o email então?)

    O BPN, primeiro respondeu-me a dizer que tinham encaminhado o meu email para um gestor de conta e que seria contactado posteriormente. Ao fim de 4 dias uteis, voltei a contactá-los e dizem-me então o mesmo que o BBVA, ou seja, se quiser que vá a uma agência. Por causa disto, ainda mandei um terceiro email, desta vez à provedoria, a queixar-me da falta de transparência do banco, e da estratégia de enrolar o potencial cliente, ao que responderam que iam investigar o caso, mas nunca mais disseram nada, por isso, duvido que volte a ouvir falar do assunto.

    Os restantes 14 bancos responderam todos, 13 deles no prazo de 24h. Só o Montepio-Geral levou quase uma semana a responder, mas ao menos fê-lo de forma directa e aparentemente honesta.

    Por isso, e em resumo, tenham cuidado a quem dão o vosso dinheiro. Pessoalmente, estou muito mal impressionado com os 4 que referi porque se querem omitir informação do cliente, é porque não são dignos de confiança.

  8. Paulo Aguiar Agosto 1, 2008 at 9:39 #

    Relativamente ao Millennium, eles não apresentam endereços de mail em lado nenhum. A comunicação que tenho com eles é sempre iniciada a partir de formulários no site, sendo depois respondida por email. Mas a maior parte desses formulários de contacto requerem autenticação para entrar (ou seja, que já se seja cliente). Com excepção deste: http://www.millenniumbcp.pt/contacto/74060_1.jhtml

    Quanto ao resto concordo que é preciso estar atento, como em tudo, aliás.

  9. Ana Luísa Mello Abril 18, 2011 at 15:51 #

    Olá Boa tarde
    Será que me pode ajudar, tinha uma conta ordenado que na qual deixei de pagar ao banco devido a vicissitudes da vida, estou sim a pagar em contencioso, descontam.me todos os meses no ordenado, será que o banco me pode continuar a cobrar seguro de vida? Não cessa o pagamento desse seguro?
    Obrigada

  10. Luis Maio 26, 2011 at 9:10 #

    Bom dia Paulo ,tenho uma duvida,tenho o meu nome no banco de portugal devido ao facto de ter deixado de pagar umas mensalidades a uns anos da cofidis,puderei abrir conta em algum banco? penso k na caixa n deve dar.aguardo resposta.obrg

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa