Atalhos

Poupar custa



É frequente neste blog apelar-se à poupança. Afinal, este é o primeiro (e mais importante) passo no árduo caminho para uma vida financeira mais equilibrada. O problema é que poupar, ainda que fácil, custa.

Normalmente, quando se fala de poupança as pessoas tendem a pensar que vão abdicar de algo que gostam de fazer/ter, reagindo negativamente, como não poderia deixar de ser. Afinal, ninguém quer deixar de ir jantar fora, ir de férias com os amigos ou comprar aquele “brinquedo” que há tanto namora. Contudo, poupar não tem obrigatoriamente de ser um sacrifício. É claro que exige que cortemos em algum lado, mas isso não quer dizer que devemos rescindir do nosso lazer.

Para começar a poupança pode começar por melhorar algo sem prescindir de nada. Alguns exemplos:

  • Utilizar a energia de forma mais eficiente
  • Conduzir mais calmamente e com menores consumos
  • Ter mais atenção nas compras do supermercado
  • Investigar e procurar um pouco melhor antes de alguma compra significativa

Com este tipo de atitude estamos já a ter um pensamento de poupança sem estarmos a abdicar de nada.

Mesmo para os casos em que, aparentemente, estamos a abdicar de algo (e.g., deixar de ir ao cinema), podemos sempre arranjar alternativas mais baratas e, na maioria dos casos muito mais interessantes:

  • Trocar um jantar fora por um jantar em casa, em que cada amigo traz o seu prato favorito
  • Alugar um DVD e ver com os amigos, ao invés de ir ao cinema
  • Substituir a mensalidade da TVCabo por um bom livro ou por um DVD (de forma esporádica)

É preciso desmistificar a poupança. Poupança não é sacrifício, isolamento ou rigor extremo. Poupança é ter uma atitude racional perante a vida, ser menos impulsivo e obter satisfação por vias diferentes do consumismo desmesurado.

E lembre-se, sempre que poupar está a contribuir para o seu futuro.

Última actualização: 24/11/2014

Partilhe:

9 comentários a Poupar custa

  1. Joao Dezembro 18, 2007 at 9:44 #

    Deixei a TVCabo qd percebi que estava a dar mais de 20Eur / mês por algo que (quase) não usava…

    Foi das melhores poupanças do ano…

  2. Claudia Moreira Dezembro 18, 2007 at 16:27 #

    Recebi mil euros de uns trabalhos que tinha feito há algum tempo. quase nem passaram pela minha conta. foram imediatamente para os certificados de aforro. custa tanto…….
    claudia

  3. Pedro Pais Dezembro 18, 2007 at 23:47 #

    @Joao, pois é…
    20 * 12 = €240. Ao fim de dois anos, investidos mensalmente, daria qualquer coisa como €498 poupados.

    @Cláudia,
    Ao princípio custa, mas quando vamos calcular o valor do nosso património temos uma boa surpresa 🙂

  4. Carlos Dezembro 19, 2007 at 22:23 #

    A respeito do Post, cujo conteúdo no essencial concordo, apenas faria uma ressalva, qunado se afirma que”Poupança não é sacrifício, isolamento ou rigor extremo”, diria antes que Poupança nem sempre é/ significa/é sacrifício, isolamento ou rigor extremo.

    Aproveito a oportunidade para elogiar o blog e o autor, que de modo escorreito, e sempres descomplicando, torna fácil o que às vezes é obscuro, no mundo do economês e financês! 🙂

  5. Pedro Pais Dezembro 24, 2007 at 2:53 #

    Carlos,

    Acho que é tudo uma questão de atitude. É como trabalhar: tanto podemos ver como um sacrifício ou como algo agradável.

    No caso da poupança nem é tão complicado não ver como se fosse um sacrifício. É só uma questão de pensarmos em objectivos maiores.

  6. João Marques Dezembro 26, 2007 at 22:57 #

    A prepósito, mais uma dica…infelizmente só para alguns!
    Um café por dia faz bem, já 3 ou 4…E se forem acompanhados por um cigarrito!!Eu comecei a aplicar esse dinheiro num frasco lá de casa…Belas Férias que fiz um ano depois.Se não acredita faça contas.Pode até custar ao principio, mas o juro em saude…o seu coração e pulmões agradecem, e o cérebro tem menos uma coisa em que pensar, o como irei arranjar dinheiro para ir de férias…o desafio está lançado.

  7. Pedro Pais Dezembro 27, 2007 at 19:51 #

    A despesa com os cigarros é daquelas que apresenta um grande potencial de poupança.

    Se deixarmos de fumar, poupamos porque compramos menos cigarros e poupamos porque também temos melhores perspectivas de saúde e, logo, menores custos.

    Mas tenho de escrever um artigo sobre isto.

  8. ana Setembro 2, 2008 at 9:51 #

    quanto ao tabaco é mais do que evidente os beneficios em não fumar, ganha se em saude, nas lavagens de roupa ( o cheiro a tabaco impregna ate na pele) e na carteira então …. se pensarmos de uma pessoa que fume pelo menos 1 maço por dia ( ou seja media de 3€ por dia) se formos a fazer as contas a 1 ano dá simplesmente a modica quantia de 1095€ ao ano. Não tinham pensado neste termos pois não? agora apliquem esse valor e todos os anos a mesma importancia pelo tabaco que não consumiram, ao final de 5 anos teriam na conta sem juros 5475€. Já que estamos numa de poupança junte a esta quantia os cafes que deixou de tomar durante 1 anos e ai consegue poupar em menos de nada o suficiente para fazer umas belas ferias.
    Ah isto para uma pessoa só, imaginem agora para um casal que tem por habito fumar e beber cafe…

  9. vania Dezembro 2, 2009 at 16:12 #

    Boa Tarde,

    poupança não é sacríficio.. é apenas alguma racionalidade… afinal de quantos brincos, roupas, gadgets, precisamos? Eu costumo olhar para a minha quinquilharia e pensar: eu nem que tivesse 20 corpos conseguia por tudo a uso…

    No fundo trata se de viver com o suficiente…

    Boas popanças

Deixe uma resposta

FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa